Nisto cremos

"Faze-me entender o caminho dos teus preceitos; assim falarei das tuas maravilhas." Salmos 119:27

 

A Igreja Adventista do Sétimo Dia - Movimento de Reforma, baseada no estudo das Sagradas Escrituras e mediante a interpretação revelada pelo Espírito Santo aos seus servos, tem como princípios básicos de sua crença os itens relacionados a baixo.

 

Deus o Pai

 

Há um só Deus, o pai eterno, o Criador: um ser pessoal, espiritual, infinito em amor e sabedoria., onipotente, onipresente, onisciente, imortal.

 

Referências: Êxodo 20;2, 3; Isaías 45:5-12, 18, 20-22; João 4:24; Salmos 139:1-12.

 

Jesus Cristo o Filho

 

Jesus Cristo é o filho do Deus vivo, um em natureza com o Pai Eterno. Através de Cristo toda as coisa foram criadas. Conservando Sua natureza divina, Cristo tomou sobre Si a natureza humana, fez-Se carne, e viveu numa terra como homem sem pecado, tornou-Se um exemplo para nós. Morreu pôr nossos pecados na cruz, ressurgiu e ascendeu ao céu, junto ao pai, onde vive sempre para fazer intercessão pôr nós.

 

Referências: Hebreus 1:1-3, 5; Colossenses 1:15-17; Mateus 1:18-23; João 1:14; 1 Timóteo 2:5; Atos 4:12; Hebreus 7:25; João 14:6; 1 Timóteo 3:16.

 

O Espírito Santo

 

O Espírito Santo é representante na terra, e é um em propósito com o Pai e o Filho. É o agente regenerador na obra da redenção.

 

Referências: João 3:5-8; 14:16, 26; 16:7-13; 1 Coríntios 2:10, 11; 1 João 5:7; 2 Coríntios 13:14; Mateus 28:19

 

Os três acima mencionados - Deus, o Pai; Jesus Cristo, o Filho; e o Espírito Santo, a terceira pessoa da Divindade – são apresentados em Mateus 28:19.

 

Escrituras Sagradas

 

As Escrituras Sagradas, tanto o Velho como o Novo Testamento, constitui a palavra de Deus. Foram transmitida por inspirações divinas, contêm a toda suficiente relações da vontade Divina ao homem, e são a única e a infalível regra de fé e prática.

 

Referências: João 5:39; 2 Pedro 1:19-21; 2 Timóteo 3:15-17; Lucas 11:28; 16:29, 31; Mateus 22:29; João 10:35.

 

Os Dez Mandamentos

 

A lei moral dos dez Mandamentos, de Êxodo 20:3- 17, é a expressão da vontade de Deus, abrangendo o dever do homem para com Deus e para com seu próximo. A lei é imutável, vige sobre todo os seres humanos de toda época e de todo lugar, e está acima de todas as leis humanas. A obediência a lei moral revela o amor do homem a Deus. A transgressão de qualquer Mandamento da lei moral ( Tiago 2:10) é pecado. 1 João 3:4. E o salário do pecado é morte. Romanos 6:23. A lei não pode salvar-nos da pena do pecado, a morte; apenas revela o pecado. A salvação só é possível através do sacrifício expiatório de Cristo.

 

Referências: Eclesiastes 12:13,14; Mateus 5:17-20; 7:21; 19:17; 22:36-40; 1 João 2:3-6; 5:1-3; João 8:11; Hebreus 10:26; Romanos 2:13; Atos 5:29.

 

O Sábado

 

O quarto mandamento da lei moral de Deus (Êxodo 20:8-11) exige a observância do sábado do sétimo dia. É um dia sagrado de descanso, um memorial de criação e de recriação.

 

Gênesis 2:1-3; Êxodo 20:1-17; Ezequiel 20:12, 20; Isaías 58:13, 14; Marcos 2:28; Hebreus 4:1-10.

 

A verdadeira observância do sábado exige do crente a cessação de todo trabalho secular ao pôr-do-sol de sexta-feira até o pôr-do-sol do sábado. A obra de preparação do sábado, que inclui a cocção de alimentos, limpeza da casa, higiene pessoal, etc., deve ser feita na sexta-feira, antes que o sábado tenha inicio.

 

O Sábado é uma parte vital dos Dez Mandamentos, sendo, portanto, uma instituição espiritual dedicada á adoração religiosa e ao estudo da palavra de Deus. Isaías 58;13, 14.

 

Levíticos 23:32; Êxodo 16:22, 23; Lucas 23:54; Marcos 16:1. Cristo e seus apóstolos, tanto antes como depois da crucifixão, observaram o Sábado, portanto desde a criação o Sábado foi, continua sendo, e será sempre verdadeiro dia de repouso.

 

Referências: Lucas 23:56; Atos 13:42, 44; 16:13; 17:2; 18:4; 22:12; 25:7, 8.

 

O Sábado Falsificado

 

O primeiro dia da semana, comumente chamado domingo, foi dedicado ao paganismo antigo á adoração do sol.

 

A medida que a igreja cristã apostatou da verdadeira doutrina nos primeiros século, o Sábado do Sétimo dia foi gradualmente substituído pelo Domingo, feriado pagão que, com outras instituições pagãs, foi finalmente incorporado à lei eclesiástica da Igreja Católica Apostólica Romana, e por ela transmitiu a igreja.

 

A guarda do Domingo está baseado apenas no costume pagão e na tradição da igreja, e em parte alguma da Bíblia é sustentada. Portanto, os cristãos que observam como dia de descanso semanal estão em erro.

 

Referências: Deuteronômios 7:25; Mateus 15:9, 13

 

A Lei Cerimonial

 

A lei cerimonial do velho testamento imposta ao povo judeu apostava para o futuro Messias. Tipificava a obra de Cristo, e sua exigência cessaram na cruz. A lei cerimonial que inclui os Sábados cerimoniais, dia santo dos judeus, não deve ser confundida com a lei Moral nem o Sábado cerimoniais devem ser confundidos com o dia Sábado do quarto Mandamento.

 

Referências: Hebreus 10:1, 9, 10; Colossenses 2:14, 16; Gálatas 4:10, 11.

 

A Graça e Seu Meios

 

Graça significa "favor imerecido". Pôr causa do pecado, a humanidade deve sofrer as consequências, notadamente a morte. O amor de Deus é manifestado pelo oferecer, ao homem indigno e pecador, salvação da morte eterna por amor de Jesus Cristo. A salvação é consumada mediante o atrair os pecadores a Cristo através dos meios da graça dentre os quais assinalamos:

 

•          Palavra de Deus: Romanos 10:13-17;

•          O Espírito Santo: João 16:13;

•          A Igreja de Deus: Atos 2:38-41;

•          O Lava-Pés: João 13:1-17.

•          A Ceia do Senhor: 1 Coríntios 11:17-34.

 

O Novo Nascimento

 

A fim de obter a salvação, o homem deve passar pela experiência do novo nascimento- transformação da vida. João 3:3.

 

O render-se a operação do Espírito Santo sobre o coração , conduz a pessoa ao arrependimento dos pecados cometidos ( Atos 2:37, 38), e nela cria o desejo de viver em obediência a vontade de Deus, (1 João 2:3).

 

Essa transformação a Bíblia denomina ‘novo nascimento’. A nova vida e resultante é mantida pela fé em Jesus Cristo. Efésios 4:15.

 

Referências: Mateus 1:21; Romanos 2:4; João 16:8; 1 João 2:3, 6; João 16:13; 1 Pedro 1:22; Salmos 119:142; João 17:17; Gálatas 2:20; Hebreus 12:2; Romanos 1:17; Filipenses 4:13. 

 

O Batismo

As pessoas que atingiram a idade responsável, experimentaram a convicção da operação do Espírito Santo e se arrependeram, devem ser batizadas. Mediante esses ato é na morte, sepultamento e ressurreição de Cristo. A forma da Bíblia de batismo é a imersão em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

 

Referências: Atos 2:37, 38; 8:36-39; Marcos 16:16; Romanos 6:1-9; Colossenses 2:12; Mateus 28:18-20.

 

A Ordenança da Humildade

 

O Lava-pés, ritual da humildade, que precede a cerimônia da Ceia do Senhor, foi instituído por Cristo e prescrito à igreja cristã para ensinar humildade, igualdade e amor fraternal.  A reconciliação entre os irmãos deve preceder a ordenança.

 

Referências: João 13:1-17; Mateus 5:23, 24.

 

A Ceia do Senhor

 

A cerimônia da Ceia do Senhor- a Santa Ceia- foi ordenada à igreja Cristã. Ao participar do pão ázimo e do vinho não aferventado, o crente comemora o sofrimento e a morte de Jesus Cristo. O significado sagrado dessa cerimônia exige que seja restrita aqueles que confessaram a Cristo através do batismo e se tornaram membros da igreja.

 

Referências: Mateus 26:26-28; 1 Coríntios 10:16, 17; 12:20; 11;24-29, Lucas 22:11.

 

O Juízo investigativo

 

O futuro do mundo é nos revelado na Bíblia, mediante a profecia. Em realidade, a profecia é a história antecipada.

 

O maior período profético da Bíblia os dois mil e trezentos dias ou anos de Daniel 8:14, findou no ano de 1844, quando teve início o importantíssimo evento referido na Bíblia como: purificação do santuário - um período de juízo investigativo. É neste período que estávamos vivendo.

 

O termo juízo investigativo se refere a obra de examinar os registros, mantidos pelos anjos celestiais, de todos os atos dos que professaram ser filhos de Deus. O resultado desta investigação determinará quem estará qualificado para ir para o céu.

 

Referências: Eclesiastes. 12:14; Daniel 7:9,10; Lucas 20:35; Apocalipse 14:6,7; 22:12. Esta obra de julgamento é ilustrado em Mateus 22:11-14.